Zé Ricardo ficou insatisfeito com a derrota por 3 a 1 para a Cabofriense, neste domingo, no Moacyrzão. Mas o resultado adverso em Macaé, na estreia do Campeonato Carioca, de acordo com o mesmo, não causa desespero. Em coletiva após a partida, o treinador destacou as demais competições no calendário e mandou recado.

– Faz parte. Os erros nos ensinam. Temos Copa do Brasil, Sul-Americana, temos que estar atentos. Ainda bem que ninguém saiu lesionado. Temos alguns atletas para estrear.

“A gente tem que ter calma e buscar melhorar. Os meninos tiveram esse primeiro contato, não vai haver nenhuma caça às bruxas”, disse Zé Ricardo.

Zé Ricardo observa estreia do Botafogo no Carioca 2019 — Foto: Vitor Silva/SS Press/Botafogo

Do pouco que se salvou no Moacyrzão, Zé frisou o retorno de João Paulo, que voltou aos gramados no fim de 2018, após longo período afastado por causa de uma grave lesão. Além dele, o treinador aproveitou a partida para observar novos nomes.

– A volta do João Paulo, um jogador importante. Alan Santos estava há muito tempo sem jogar. Alguns meninos começaram a ter oportunidades no profissional. Pelo que fez na base, Helerson merece estrear no profissional. Tem pontos que observamos para já atacar. É trabalhar para recuperar os pontos em casa.

Na segunda rodada da Taça Guanabara, o Botafogo vai receber o Bangu no Nilton Santos, na próxima quarta-feira, às 19h15.

Veja outros trechos da coletiva de Zé:

Avaliação da estreia

Lógico que não queríamos estrear com derrota, mas, dentro de um processo de reconstrução, entendíamos que seria um adversário bem treinado. Os gols deles saíram em erros que acontecem nesse início de processo. Tivemos bons momentos, colocamos duas bolas na trave.

João Paulo teve atuação destacada por Zé — Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

João Paulo teve atuação destacada por Zé — Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Time novo

Não temos seis, sete jogadores que faziam parte do time que finalizou a competição no ano passado. Isso pressiona um pouco os meninos, mas a gente tem confiança no trabalho e daqui a pouco as coisas começam a encaixar.

Dupla de zaga

Marcelo e Helerson eram a dupla imediata de Carli e Rabello no ano passado, então por coerência a gente manteve eles. Vinham treinando muito bem. Agora é dar moral para todos eles, porque a gente vai fazer melhores jogos daqui pra frente.

Elogios à Cabofriense

Foram 15 dias de trabalho. Sabia que não era o ideal em nenhum aspecto. A Cabofriense tem um jogo de imposição, força física, trabalhou com velocidade e investiu nessa dificuldade que temos em início da temporada. Teve sucesso. A Cabofriense está de parabéns. Começou a trabalhar bem antes, fez vários jogos-treino, e isso faz a diferença. Souberam aproveitar.

Reforços

Chegadas e partidas fazem parte. Natural que alguns atletas saíssem depois do bom fim de ano que fizemos. Não temos que fazer nenhuma avaliação nesse sentido agora. É realmente dar condição de jogo a todos, preparar aqueles que não tinham 100% de condição de jogar hoje.

Jean fora do jogo

A maioria dos atletas que não entrou em campo ou não veio é porque entendemos que não tinham condições. Jean voltou agora, trabalhou pouco com a gente. Entendi que o Wenderson faria bem o papel de primeiro volante.

Colocamos o Alan mais próximo do João Paulo para ajudar na criação. É importante que ele se sinta bem, não teve nenhum problema físico. Só cansaço, os outros também. Para não ter risco de lesão, optamos por esse grupo.

Bangu

Se conseguirmos inscrever o Erik, ele estará disponível. Vamos ver como será a recuperação de quem jogou hoje e a evolução física dos atletas que não vieram.

Via Globoesportes