Contratado pelo Botafogo há pouco mais de duas semanas, Marcos Paquetá não teve reforços ou perdas na equipe desde então. Mas não quer dizer que o treinador tenha abdicado totalmente de novos integrantes no elenco. É o que ele próprio revelou na entrevista coletiva antes do treino desta sexta-feira.

“O Botafogo optou por manter a base. Muitas equipes perderam jogadores. Uns por contusão, outras venderam. Trazer por trazer não adiantariam. O radar está “aceso”, logicamente. Todo bom jogador é bem-vindo. Desde que tenham a qualidade para reforçar o elenco”, disse.

O desejo do comandante contrasta, porém, com o delicado momento financeiro do clube. O que, por sua vez, é bem diferente da vida, no Mundo Árabe, que ele levou nos últimos 14 anos.

“Equipes em que trabalhei têm poder aquisitivo bom. Mas, às vezes, o jogador não era aceito. Os clubes buscam mais quem tem mais cartaz, passagem por seleção. E os clubes do Rio, e de outros estados, passam por dificuldade. Temos um grupo bom de análise de atletas. Estamos na torcida para que apareça um bom atleta que aumente as qualidade do grupo”, afirmou.

Na tarde desta sexta-feira, o Botafogo recebeu os integrantes da Comissão de Arbitragem da CBF Alício Pena Júnior, Cláudio Vinícius Cerdeira e Ricardo Almeida.

Conteúdo de Uol