Em entrevista ao “Charla Podcast” Lúcio Flávio, ex-técnico Interino do Botafogo, confessou se sentir injustiçado após ser demitido de “surpresa”. Lúcio disse que como funcionário do clube, foi colocado ali no cargo de treinador e era grato pela oportunidade. Mas a questão é que no cargo de auxiliar, foi colocado como treinador sem ter sido em nenhum momento comunicado de uma efetivação no cargo. Sequer foi lhe dada a oportunidade de trazer a sua própria comissão técnica.

“Eu era um auxiliar colocado ali. Como comecei com vitórias sobre Fluminense e América-MG, fui seguindo. Com todo respeito, de todos os jogos que participei, talvez o do Bragantino, os outros nenhum foi superior ao Botafogo. Palmeiras, Cuiabá atropelamos, Athletico-PR estávamos bem, o Vasco não foi superior apesar de termos perdido, contra o Grêmio até o segundo gol e o do Bragantino, que fizemos virada no primeiro tempo, entra questão mental, temos que segurar o resultado. E tivemos duas chances boas de fazer o terceiro e não fizemos”.

Outro ponto de mágoa de Lúcio Flávio com o clube, é o fato de, após o seu último jogo, que foi o empate contra o Bragantino, a diretoria havia lhe informado de que permaneceria como funcionário após a chegada de Tiago Nunes, o que não aconteceu.

“Fui comunicado em Bragança. Na véspera, me disseram que eu permaneceria como auxiliar. Por isso que falo que me senti injustiçado nesse contexto, mas o clube tem todo o direito. O tempo mostrou que não era eu o culpado, essa era uma verdade. Tanto que o time não ganhou mais nenhum jogo. O processo do futebol está muito ligado à pressão, foi o que aconteceu no meu caso”.

Categories: Elenco