Em crise, vôlei alvinegro caminha a passos largos para encerrar suas atividades. A equipe que estrearia na temporada hoje contra o Campos, pelo campeonato Carioca da modalidade, não entrará em quadra. Ocasionando um WO caso a equipe do Campos compareça ao ginásio Oscar Zaleya. Com a atitude, o alvinegro possivelmente será eliminado da competição.

Durante o inicio da tarde surgiram inclusive informações de jornalistas que participam da cobertura da modalidade de que o Botafogo encerraria suas atividades no Vôlei profissional imediatamente e no final do ano acabaria com as categorias de base. Posteriormente, o jornalista Leonardo Bessa trouxe a informação de que o time de vôlei havia pedido uma semana como prazo para que se conseguisse arrecadar o valor de R$ 250.00,00 para que pudessem disputar pelo menos a Superliga, competição pela qual os atletas vem se preparando desde setembro.

A crise é fruto de um investimento alto e irresponsável em algo que desde o inicio era alertado como prejuízo certo. O investimento já fugia da realidade do clube na Superliga B e tornou-se irracional na montagem do projeto após o acesso a elite do vôlei nacional. Contratações em massa foram feitas, com jogadores de “grife” e em um valor que na teoria seria pago por um patrocínio que nunca apareceu. Os atletas não receberam sequer um salário na atual temporada.

Quatro jogadores já deixaram a equipe através da justiça gerando multas e processos trabalhistas. Caso o clube não consiga a verba necessária, todos os jogadores do atual elenco gerarão mais processos, uma alta multa perante a federação além da exclusão do clube por seis anos de qualquer competição nacional.

Um triste fim para um esporte histórico do clube, porém, um desastre completamente anunciado desde o inicio.