O técnico Eduardo Barroca concedeu entrevista coletiva nesta sexta-feira que precede o confronto contra o Internacional. O treinador admitiu que o time precisa evoluir em certos pontos e demonstrou total confiança para o jogo de sábado e para a sequência do campeonato.

Barroca assumiu que o ataque alvinegro tem deixado a desejar. Mas fez questão de deixar bem claro, que tem sido o ponto mais trabalhado nos treinamentos:

-A gente tem o problema que todos estão falando que é o número de gols, e reconhecemos isso. Estamos trabalhando diariamente para encontrar formas de melhorar o desempenho nesse sentido. Não sou um cara que fujo das minhas responsabilidades, entendo que essa responsabilidade é minha”.

– Nos meus primeiros dez jogos, tínhamos um aproveitamento baixo de bola parada, enfatizamos o treinamento e hoje estamos num nível satisfatório de bola parada ofensiva. Sempre nos mantivemos em um nível muito elevado em bola parada defensiva, só sofremos um gol assim. Estou trabalhando com afinco para solucionar esse problema, seja por trabalho, escolha de atletas, mudanças estruturais – afirmou Barroca.




O treinador ainda reiterou que o resultado contra a Chapecoense não foi o esperado, mas que confia em uma reviravolta positiva para amanhã e para a sequência do campeonato.

– Sim. Deixei muito claro depois do jogo com a Chapecoense que não foi o resultado que a gente gostaria, em nenhum momento ficamos satisfeitos com o empate em casa. Mas a gente precisa entender os momentos da competição. Nos últimos quatro jogos, o Botafogo ganhou dois, perdeu um e empatou outro. Se a cada ciclo de quatro jogos eu conquistar sete pontos, estarei muito próximo de estar disputando nosso objetivo principal. Não foi o resultado que gostaria, um jogo em casa, deveríamos ter vencido. Mas não podemos voltar atrás.

– Eu preciso sempre ver com cautela e responsabilidade o que estamos fazendo, em que nível de competição estamos, o que a gente precisa ajustar. Tenho preocupação grande em cobrar os jogadores naquilo em que não estão indo bem, e positivá-los no que está dando certo. Não estamos satisfeitos com a posição em que estamos. Não é falta de trabalho, cobrança e dedicação. Temos chances de brigar por algo maior.

Ao fim da coletiva, o treinador subiu ao campo anexo do estádio Nilton Santos para comandar o último treino antes do embarque para Porto Alegre. Onde enfrentará o internacional neste sábado às 21h no estádio do Beira Rio.