fbpx

“O joelho já está bem. A realidade é que nos três últimos meses não pude trabalhar. Nesse período que falta para o Campeonato Brasileiro, estarei bem.” A declaração é de Rodrigo Aguirre, no dia 16 de março, quando era apresentado oficialmente pelo Botafogo. O Brasileirão já começou, a torcida tem a expectativa e o uruguaio deve estar à disposição contra o Grêmio. Mas o processo é gradual.

Emprestado pela Udinese (ITA), ele vem começando a fazer atividades no campo, mas ainda sem ter a mesma rotina dos atletas à disposição de Alberto Valentim. Para o jogo desta segunda-feira, contra o Sport, o atacante segue fora. Mas espera-se que por pouco tempo.

– Esperamos contar com ele já na terça-feira, e a nossa ideia é que ele já se junte ao grupo e comece essa semana com a gente. Teremos quatro sessões de treinos e será importante para que ele entenda o nosso modo de trabalho – afirmou o técnico Alberto Valentim, na última sexta-feira.

Se confirmada a presença do uruguaio no jogo do próximo sábado, contra o Tricolor Gaúcho, no Estádio Nilton Santos, ele deve começar no banco de reservas, mas aumenta a concorrência tanto para os lados do campo quanto para o comando de ataque. Num caso, Leandro Carvalho, Luiz Fernando, Valencia e até Renatinho ficam alertas. Brenner é o atual camisa 9, enquanto Kieza é reserva.

Como prometera na estreia, a adaptação de Aguirre está sendo bem-sucedida, apesar de gradual. Assim que chegou ao Rio, conheceu pontos turísticos. Nos momentos em que está no Nilton Santos, conversa mais com os estrangeiros, pela afinidade do idioma espanhol.

Capitão, Carli costuma ambientar os novatos do grupo. Assim também foi quando o argentino Montillo foi contratado.

Fonte: Lancenet

Categorias: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *