fbpx

Em seu último ano de carreira, o ídolo Jefferson está impossibilitado de trabalhar desde o último dia 21, quando sofreu várias contusões após choque com Lucas Paquetá durante o primeiro tempo da vitória rubro-negra por 2 a 0 no clássico. Nesta terça-feira, ele passará por revisão. Seria reavaliado na segunda, mas a forte chuva que caiu no Rio de Janeiro adiou em um dia o retorno do goleiro à clínica. As informações foram divulgadas pela Rádio Tupi e confirmadas pelo GloboEsporte.com.

Médico que atendeu Jefferson após o duelo, o otorrino Augusto César o examinará a fim de avaliar em que estágio está a recuperação. O jogador de 35 anos sofreu trauma no tórax, fratura da cartilagem tireoide, edema nas cordas vocais e a perda de dois dentes.

Jefferson está em seu último ano de carreira e não atua desde 21 de julho (Foto: Divulgação)Jefferson está em seu último ano de carreira e não atua desde 21 de julho (Foto: Divulgação)

Jefferson utiliza um colete cervical desde o último dia 27, quando recebeu alta da Clínica São Vicente, para onde foi encaminhado após o clássico com o Flamengo. A previsão inicial era de ficar com o colete por cerca de 15 dias.

Com Gatito se recuperando de problema na ulna (um dos ossos longos do antebraço) do braço direito, Saulo jogou as quatro partidas posteriores à saída de Jefferson, contra Chapecoense (1×0), Internacional (0x3), Nacional-PAR (1×2) e Santos (0x0).

Em 2018, Jefferson tem 22 jogos. Começou como titular sob o comando de Felipe Conceição, deixou o time após apresentar edema no tornozelo direito em fevereiro, problema que o deixou fora de ação por um mês. Gatito entrou bem e terminou como herói do título carioca ao pegar dois pênaltis na decisão contra o Vasco. Quando se firmava como titular, o paraguaio fraturou a ulna do braço direito na segunda rodada do Brasileiro, e o ídolo voltou à meta.

Conteúdo de Globoesportes

Categorias: DestaquesNotícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *