Como se fosse no Jacarezinho: após um ano sem defender o Botafogo, Yuri buscou “se divertir” no retorno – Resenha Alvinegra

Como se fosse no Jacarezinho: após um ano sem defender o Botafogo, Yuri buscou

O lateral-esquerdo Yuri não sentia o gostinho de defender o clube que o revelou há 531 dias (um e ano e cinco meses). No período, foi emprestado para Criciúma e posteriormente ao Santa Cruz. Em março de 2018, fraturou o quinto metatarso do pé direito. No último sábado, no empate por 0 a 0 com o Santos, enfim voltou a jogar uma partida oficial com a Estrela Solitária no peito. E o fez com desenvoltura.

Apesar da esperada ansiedade pelo retorno após longo período de inatividade, o jogador de 22 anos se transportou para os tempos em que jogava descalço e ralava o joelho no Jacarezinho a fim de repetir isso em campo e se divertir contra o Peixe.

– Foi uma sensação maravilhosa, passou um filme na cabeça de quando eu jogava futebol descalço na comunidade em que eu morava. Recebi muitas mensagens de amigos de infância, tinham amigos meus no estádio, minha esposa (Bruna) e meu pai (Marco). Minha mãe (Márcia) não gosta de ir porque fica muito nervosa (risos), mas não tenho palavras para agradecer a Deus por essa oportunidade. Vinha treinando bastante para estar preparado quando chegasse esse momento – afirmou o Yuri, completando:

– Acabei me lesionando (em 2018), mas não perdia o foco, eu sempre soube o que eu queria. Tentei controlar a ansiedade e a calma, eu sabia que o jogo era importante para mim e para o time e não podia deixar que esses quesitos me atrapalhassem. Quando a bola rolou eu pensei: “vou aproveitar o máximo e me divertir”. Graças a Deus, deu tudo certo.

Na ausência de Moisés, com dores no adutor da coxa esquerda, e Gilson, suspenso, Yuri provou que está pronto para atuar na lateral esquerda. Mas, se Zé Ricardo precisar dele em outras posições, o jogador se coloca à disposição. Vale lembrar que ele se destacou como meia na conquista do Brasileiro Sub-20 em 2016. Nas finais, contra o Corinthians, marcou tanto no Rio de Janeiro (1 a 1) quando no Itaquerão (2 a 0).

– Eu sempre fui polivalente, já joguei de lateral, meia, extremo e até de volante. E costumo dizer que onde precisar eu estou à disposição para ajudar, eu só quero ajudar e conseguir títulos para o Botafogo.

Yuri domina a bola contra o Santos (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)Yuri domina a bola contra o Santos (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Confira outros tópicos:

Acha que chamou atenção do Zé Ricardo? Foi um bom cartão de visitas para o seu novo treinador?
Eu acho que sim. Mas estou tranquilo, ele é o comandante agora e ele decide. Quem ele escolher vai dar conta do recado, mas foi bom para ele saber que pode contar comigo.

A lesão no quinto metatarso do pé direito te atrapalhou na busca por uma vaga na lateral esquerda?
Na verdade não. Aos meus olhos humanos claro que pensei que perderia tempo, mas eu tenho um Deus que cuida de mim e é o dono do tempo. Me deu força e motivação para voltar melhor do que estava. Fui presenteado com essa oportunidade de mostrar o meu futebol.

Com a lesão, imaginou que poderia ser emprestado novamente?
Sim. Como, disse os meus olhos humanos pensaram que estava tudo perdido, mas quem dá a última palavra não é o homem e sim Deus. Agora é trabalhar para ajudar aqui e tenho certeza que vamos conseguir coisas grandes.

Conteúdo de Globoesportes

Categorias: DestaquesNotícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *