Na coletiva de ontem após mais uma derrota, desta vez para o Athlético Goianiense, o técnico Eduardo Barroca concedeu entrevista coletiva e entre as respostas dadas, enumerou os fatores que corroboram para o atual momento da equipe.

Na avaliação do treinador, o psicológico dos atletas tem sido determinante para os fracassos da equipe dentro de campo.

“O principal, sem sombra de dúvida, é o lado mental. Você sai na frente de um jogo equilibrado e logo depois sofre um gol. Evidente que a gente se desequilibra mentalmente, com a necessidade que temos do resultado. E o Atlético, com mérito, aproveitou essa situação e fez o segundo gol. A gente ainda teve oportunidades muito claras, mas não tivemos competência e perdemos um jogo que era muito importante para a gente, dentro de casa, para que a gente reerguesse. Cabe a gente agora recuperar para o jogo contra o Fluminense”.

O treinador fez questão de não individualizar erros e cobrou da equipe coletivamente. Segundo Barroca, o fato do Botafogo levar gols em todos os jogos precisa ser corrigido de forma imediata e será o foco do trabalho para a partida contra o Fluminense.

“Não existe um único sinal que a gente precisa focar pra sair desse cenário, são diversos cenários que estão contra a gente, além dessa situação dos gols sofridos quando a gente saiu na frente, a gente não consegue levar vantagem pro intervalo. É uma característica do meu trabalho cobrar dos jogadores para começar o jogo intensamente para sair na frente e levar a vantagem do trabalho, mas não estamos conseguindo. Na minha visão não convém nenhuma discussão de individualidade, porque os sinais coletivos são adversos. Precisamos resolver os problemas coletivamente, não vou transferir responsabilidade pra ninguém. Precisamos encontrar as soluções aqui dentro”.

Categories: Notícias